Publicidade

Coluna da Arte Suave: a importância no Jiu-Jitsu de sempre estar disposto a se testar; veja mais

Em seu novo artigo na TATAME, professor Luiz Dias fala sobre a importância de sempre se testar no Jiu-Jitsu; leia e saiba mais

* Hora do treino livre, hora de treinar com os parceiros de treino. Então, normalmente, treinamos Jiu-Jitsu com quem temos mais amizade, ou motivados por um retorno por conta de uma lesão, procuramos alguém mais leve em relação ao nosso peso. E o contrário também. Por vezes, procuramos um treino mais intenso para puxar nossos limites. 

Mas uma atitude que não é boa, creio, seria negar treino, mesmo sabendo que menos graduados não podem negar treino quando um lutador mais graduado chama. Por vezes, já vi lutador dando desculpas, e pior, afirmando “estou cansado”. 

É quando você está cansado que seu Jiu-Jitsu é mais exigido, porque sua  força não está ali. Então, é necessário ter inteligência, estratégia, técnica e saber respirar. Explodir na hora certa. Perceber a hora correta para se movimentar. Aqui na minha academia, já vi um aluno “negar” um treino para depois chamar um outro, que creio ele se julgava superior. 

Claro que intervi e não deixei. Falta de respeito e também, para mim, uma ausência de vontade de evoluir. Essa zona de conforto é muito perigosa no Jiu-Jitsu. Puxe seus limites, treine cansado, não negue treino. O importante é você vencer a si mesmo. Vencer seu medo de perder, vencer sua resistência ao enfrentar um combate onde todos os sinais parecem estar contra você. 

Talvez essa seja a parte mais desafiadora. Seja o melhor dessa luta. Treine suas defesas, treine sua respiração. Zona de conforto não traz desenvolvimento para ninguém. Negar treino por preguiça ou vaidade é um tiro no pé que você mesmo se dá. Treino Jiu-Jitsu com amigos e alunos que, muitas vezes, o meu objetivo é não bater, mas sempre com o foco de que se uma oportunidade surgir, vou em busca da finalização. 

Acredito que a derrota no Jiu-Jitsu acontece quando você deixa a vaidade decidir por você. Não gosto de ver aluno negando treino. Treine mesmo cansado, puxe seus limites. Se um lutador mais graduado ou não, até mesmo da mesma faixa que você, te chame, agradeça a oportunidade e lute. 

Não sabemos o futuro, não sabemos o que pode nos acontecer. Uma lesão ou acidente fora dos tatames, e aí quando der a saudade dos treinos, você saberá que treinou sempre que pôde. Ser um guerreiro não é vencer todas as batalhas, mas saber que nunca fugiu de nenhuma.

Para mais informações, veja www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o www.geracaoartesuave.com.br/.

* Por Luiz Dias

Para conferir mais notícias sobre o Jiu-Jitsu, clique aqui 
Publicidade
Publicidade